Várias dúvidas surgem no brasileiro que decide residir no exterior, afinal isso é uma grande mudança de vida. Uma das dúvidas mais comuns é quanto a possibilidade de continuar pagando INSS. Seja como efetuar essas contribuições ou também quais vantagens o brasileiro que mora no exterior possui pagando essas contribuições aqui no Brasil?

Se você possui essas dúvidas, leia esse post até o fim e saiba como continuar usufruindo das vantagens do INSS mesmo morando no exterior!

O que poucas pessoas sabem, é que o Brasil possui um dos sistemas de previdência social mais abrangente do mundo. A previdência brasileira garante não somente aposentadorias e pensões como também benefícios como salário maternidade, auxílio acidente, auxílio doença e aposentadoria por invalidez.

Quem reside no exterior, pode continuar pagando INSS?

O brasileiro que passa a residir no exterior, de forma legal ou até mesmo de forma ilegal, pode continuar pagando INSS e neste caso fica coberto com os benefícios da previdência social, contando assim tempo de contribuição para a futura aposentadoria e podendo usufruir de todos os benefícios do INSS.

Quais as vantagens de continuar pagando o INSS no exterior?

As principais vantagens de continuar pagando o INSS no exterior são:

  • Contagem de tempo de contribuição para aposentadoria;
  • Possibilidade de aposentadoria pelas regras do INSS;
  • Salário Maternidade;
  • Auxilio Doença;
  • Aposentadoria por Invalidez;
  • Auxílio Acidente;
  • Pensão por morte.

Como contribuir?

A forma de contribuição do residente no exterior para o INSS deverá se dar na qualidade de segurado facultativo.

A regra geral para a contribuição como facultativo (código 1406) é na alíquota de 20% sobre o salário mínimo, porém esse valor poderá ser maior conforme a capacidade financeira do segurado, sempre respeitando o teto do INSS no momento do pagamento da guia.

Para saber mais como preencher a GPS e os códigos para recolhimento, clique aqui.

Como realizar a inscrição do segurado facultativo?

A inscrição do segurado facultativo é feita, de forma eletrônica, pelo site do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Caso esteja impossibilitado de inscrever-se ou ocorra divergência de dados no Cadastro da Previdência Social, o interessado poderá constituir um procurador no Brasil para proceder à sua inscrição em uma Agência da Previdência Social (APS) ou pela central telefônica 135.

Nos países onde o Brasil mantém acordo de previdência social é possível inclusive computar tempo de serviço efetuado nos países no exterior junto ao INSS e também garantir benefícios previdenciários a partir das contribuições previdenciárias para aquele país.

Para saber mais sobre os acordos de Previdência Internacional que o Brasil mantém clique aqui!

Assim, para quem está indo morar fora ou já reside no exterior é interessante considerar a opção de continuar contribuindo para o INSS, pois as regras de aposentadoria que temos aqui são na maioria dos casos mais acessíveis do que em outros países, podendo o contribuinte também ter, de forma adicional, a contribuição à previdência social no país de residência, para assim, no futuro ter direito a 2 aposentadorias, uma no INSS e outra no exterior. Interessante não é?

O que acontece se eu deixar de pagar o INSS?

Também é importante lembrar que, o trabalhador que para de contribuir para o INSS perde a qualidade de segurado da Previdência Social e deixa de ter direito aos benefícios previdenciários no Brasil, como auxílios e pensões e também não conta tempo de serviço para a aposentadoria.

Por isso, o ideal é que o segurado que reside no exterior procure um advogado especialista no direito previdenciário internacional para auxilia-lo a planejar a sua vida previdenciária (forma de contribuição no Brasil e no exterior) no momento da sua mudança para fora do país e também a planejar a sua aposentadoria, adotando estratégias que lhe permitam ter um ou alguns benefícios de aposentadoria seja no Brasil e no exterior.

Dica para Brasileiros que residem no Exterior

Por isso, a dica de ouro para os Brasileiros que residem no exterior é fazer o Planejamento da sua Aposentadoria para saber se é interessante pagar o INSS no pais em que reside e como ficará o seu benefício. Desta forma, a análise individual de cada caso determinará qual é o melhor caminho a seguir.

Como especialistas no assunto já presenciamos muitos brasileiros se aposentarem sem planejamento, com base apenas em informações superficiais, perdendo assim a oportunidade de ter uma aposentadoria mais vantajosa financeiramente e depois ficarem arrependidos da sua escolha.

Por isso, montamos o Guia Prático da Aposentadoria para Brasileiros que residem no exterior, que pode ser baixado gratuitamente, clicando na imagem abaixo, para lhe auxiliar a encontrar alguns caminhos possíveis para o Brasileiro que reside fora do país, conquistar a sua tão sonhada aposentadoria, bem como, trará algumas dicas sobre como ter um benefício mais vantajoso.

Médico – 3 Dicas para uma Aposentadoria Especial mais Vantajosa
Qual a Importância de Contratar um Advogado Especialista?

Inscreva-se para receber nossas novidades!

Área de Interesse

Últimas postagens

Quer saber mais sobre o seu direito previdenciário?

Tire suas dúvidas com a gente!

Menu